Eunica bechina (Hewitson, 1852)

Sinônimos:

Cybdelis bechina (Hewitson, 1852)

História natural:

Eunica bechina ocorre em diversos ambientes, mas em floresta de terra firme na Amazônia central não é coletada em abundância. Maior abundância foi encontrada em campos abertos em Rondônia e também é comum na vegetação de cerrado.

As fêmeas desta espécie deixam  ovos isolados, preferencialmente em folhas jovens de Caryocar brasiliense ("Pequi"). As lagartas constróem trampolins com os excrementos, uma estrutura que usam como local de repouso. 

E. bechina tem dieta frugívora e pode também se alimentar de seiva vegetal e em poças de lama, conforme observado pelo Professor Brown. Esta comunicação pessoal e detalhes sobre a biologia desta espécie são apresentados em Freitas & Oliveira (1992).

Alimento do adulto:

Adultos se alimentam de frutos em decomposição e seiva vegetal.

Alimento das lagartas:

Caryocaraceae: Caryocar brasiliense (Freitas & Oliveira, 1992)

Cores:
marrom, azul, violeta
Tipo de ambiente:
floresta aberta/campina, floresta, antropizado
Publicações:
Freitas A.V.L., Oliveira P.S. (1992):
Biology and behavior of the neotropical butterfly Eunica bechina (Nymphalidae) with special reference to larval defence against ant predation. Journal of Research on the Lepidoptera. 31 (1-2): 1-11